ARCHcine_2020_site_v02_curtas.jpg
5º ARCHCINE 2020 DIVULGA SELEÇÃO DE CURTAS NACIONAIS

O 5º ARCHcine 2020 divulga a seleção nacional de curtas-metragens que participam da sua Mostra Competitiva. No total, oito curtas brasileiros foram escalados para a competição do Festival de Cinema de Arquitetura, que recebeu a inscrição de mais de 200 filmes em sua quinta edição.

 

Os curtas nacionais selecionados representam a mais recente safra de filmes sobre arquitetura e urbanismo, aprofundando a reflexão sobre diversos temas urbanos, como remoções, direito à cidade, patrimônio, sustentabilidade, dentre outros. Os filmes concorrem ao prêmio de Melhor Curta-Metragem na escolha do público do 5º ARCHcine 2020 e ao Prêmio Arquiteturas, oferecido pelo Arquiteturas Film Festival Lisboa. O vencedor garante a sua exibição na próxima edição do festival português, em 2021.

 

A seleção de curtas internacionais, longas-metragens e a programação completa do 5º ARCHcine 2020 serão divulgadas nos próximos dias. O festival será realizado totalmente em formato online, entre 16 a 26 de novembro de 2020.

 

Confira abaixo a lista completa dos curtas-metragens nacionais selecionados para Mostra Competitiva do 5º Festival Internacional de Cinema de Arquitetura - ARCHCINE 2020:

 

“À Margem das Torres”, dir. Ton Apolinário, RJ, 2019, Doc, 25 min

 

Vila das Torres foi uma comunidade auto construída a partir de uma das maiores hortas urbanas do Rio de Janeiro, abaixo das torres de energia da Light e ao lado das linhas do trem. Em 2010, a comunidade foi removida para a construção do Parque Madureira. Oito anos depois, ex-moradores e vizinhos compartilham seu passado e os efeitos de seu apagamento no cenário urbano local.

 

“Caminhos Encobertos”, dir. Beatriz Macruz, Maria Clara Guiral, SP, 2020, Doc, 25 min

 

Karai Mirim e Karai Jekupe são lideranças Guarani Mbya que moram na Terra Indígena Jaraguá, em São Paulo. Enquanto sobem o Pico do Jaraguá, eles contam parte da história Guarani da metrópole.

 

“Construção”, dir. Leonardo da Rosa, RS, 2020, Doc, 16min

 

Após ser despejada de sua casa, Andréia volta anos depois para a comunidade da Getúlio Vargas com seus filhos Augusto, Gustavo e Bruno. Com a ajuda deles ela inicia a construção de sua casa própria.

“Perifericu”, dir. Nay Mendl, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda, Vita Pereira, SP, 2019, Fic, 20min

 

Luz e Denise cresceram em meio às adversidades de ser LGBT no extremo sul da cidade de São Paulo. Entre o vogue e as poesias, do louvor ao acesso a cidade. Os sonhos e incertezas da juventude inundam suas existências.

 

“Rio Submerso”, dir. Beatriz Leonardo, Ivan Ignacio, Lucas Bártolo, Luís Fellipe dos Santos, RJ, 2019, Exp, 6min

 

Entre ressacas e inundações, o filme propõe uma reflexão sobre a relação do Rio de Janeiro com as forças da água a partir de imagens de arquivo e paisagens sonoras que evoquem aspectos conflituosos, porém constitutivos de uma cidade que, formada por processos de aterramento, parece ter como destino a submersão.

 

“Supremacia da Fumaça”, dir. Marcelo Mendes Gomes, ES, 2019, Fic, 10min

 

O filme reflete sobre como a mineração e produção de aço impactam o meio ambiente de forma avassaladora. Uma distopia que alerta sobre o futuro da cidade, sem o controle necessário da emissão de poluentes no ar, mar e terra.

 

“Terras”, dir. Federico Cairoli, SP, 2019, Doc, 15min

 

A região de Cunha, no Vale do Paraíba, o tijolo de barro queimado, pau-a-pique e taipa-de-pilão motivam a colocar em evidência processos construtivos vernaculares ainda vivos, envolvidos no processo construtivo dos três projetos únicos. No exercício de re-imaginar a arquitetura pelo viés do processo cotidiano de transformação da matéria primordial que dará forma aos projetos, a equipe propõe revelar as obras pelo dia-a-dia do trabalho de dois oleiros da região: Zé Taubinha e Burrico.

 

“Uma Mulher e Uma Cidade”, dir. André Farkatt, Camerino Neto, Tactiana Braga, PE, 2018, Doc, 14min

 

Um passeio pelos vitrais monumentais que fazem parte do patrimônio artístico de Brasília, criadas por Marianne Peretti, a única mulher na equipe de artistas que acompanharam Oscar Niemeyer na capital federal. O filme aborda a vinda da franco-brasileira para o Brasil e o encontro com Niemeyer que resultou numa parceria artística de mais de duas décadas e possibilitou a união das cores dos seus vitrais à luz dos trópicos.

 

Contato: archcinefestival@gmail.com